gatsby prada 2gatsbygreta GatsbySó se esperava , falava e se lia sobre o filme … o figurino da Prada, as joias Tiffany , a exposição vitrine da Prada ( de novo ), os editoriais especialmente os da Vogue … Mas o filme chegou e muita gente não gostou ….

Particularmente belo , especificamente exagerado o filme é uma piração total na década da piração generalizada. A década de 1920 – Os Anos loucos – são tempos de experimentação . Esta palavra resume o que nem toda loucura junta consegue dar conta! Novas fortunas erguidas de forma lícita ou não , novos negócios escusos ou não , dinheiro velho e tradição (leia-se Europa) e o dinheiro novo e a secularização ( leia-se EUA) e um desejo doido de viver o tão esperado século XX fazem deste momento uma ode desesperada ao” tenho que fazer tudo agora mesmo” . Correr riscos  trás belas possibilidades . Arriscar é viver afinal de contas mas , contudo , a ressaca é uma consequência quase inevitável. As artes floresceram neste momento de experiências tão diferentes , quanto intensas – Fitzgerald estava lá retratando como ninguém a festa que era viver na Era do Jazz. Mas , este é o ponto que me gera um certo incômodo com relação a película – não sei se me sinto num clima Fitzgerald no filme . AMO a interpretação de Leonardo Di Caprio e gosto da mocinha com cara de imbecil também, fora isso a cenografia e o figurino de dar nervoso de tão perfeitos valem a visita a sala de exibição – some-se o som interessantíssimo e as tomadas de tecnologia absurdamente plásticas como artificiais.

E o artifício talvez seja o maior mérito desta versão do Great Gatsby – tudo neste filme é fake! Não somente os personagens como a felicidade e a abundância da década que duram pouco, quase nada.

Silhuetas – O feminino da de década de 1920 me intriga – atraí uma montanha de gente por sua beleza representada no entanto por roupas de festa, baile ou por qualquer outra palavra que atribui ao período uma imagem de permanente evento , acontecimento . Como mencionei acima não é à toa mas, as roupas do dia a dia, não eram bordadas e nem se pareciam com as fantasias de Melindrosa vendidas na casa Turuna. Todavia, a  silhueta feminina era de fato um enigma . Depois de anos de curvas radicais representadas e aumentadas por espartilhos e armações de quadril a figura feminina aparece reta , mais curta e com braços mais expostos . Uma revolução breve de costumes , uma ruptura com o passado romântico que finalmente encaixam a mulher no aclamado século XX. Uma experiência de vanguarda como cabia ao momento!

No masculino :

the-great-gatsby-luxury-lifestyle-photography-leonardo-dicaprioThe Great Leo!

Anúncios