Nunca escrevi sobre futebol  e é pouco provável que o faça de novo mas o adeus de Ronaldo – O Fenômeno – me mobiliza. Não sou fã de futebol . Prefiro basquete e futebol americano. Não tenho time, ao contrário dos idiotas que dizem que todo brasileiro tem que ter um, minha simpatia por eles vai de um time carioca ao outro extremo : um inglês. Mas nem esse desinteresse todo foi suficiente para  não perceber O FENÔMENO. Estes quando acontecem se fazem notar e ultrapassam o limite da área em em estão inseridos . Assim foi e será com Ronaldo . Jogador de futebol que fez os passes mais lindos dos últimos tempos, que armou jogadas inesquecíveis porque belas, porque cheias de uma dança absolutamente indescritível. E …gols… fez muitos de um jeito que ninguém fez e nem sei se vai fazer ainda. Ronaldo é único por isso é um FENÔMENO .

É um FENÔMENO porque felizmente não mauricinho bonitinho e bonzinho, também não é um mala mau caráter. Ronaldo é um FENÔMENO que se arriscou a errar e aparecer como Elvis fora do peso e deste jeito , tal qual meu eterno Rei do Rock, encontrou de novo com si mesmo. Preservou sua identidade a despeito de todos os contos em que caiu – foram casamentos, castelos, mulheres ou quase isso – todo mundo enganou Ronaldo mas ele se manteve acima de tudo um FENÔMENO. Derrotado pela inexorabilidade do esforço, da passagem do tempo, do sofrimento físico Ronaldo disse adeus aos campos sem deixar de ser o que é – um FENÔMENO com estilo incomparável.

E nos tempos atuais isso não é pouca coisa.

Anúncios