The King´s Speech título original para o repleto de indicações ao Oscar O discurso do rei traz como mérito tratar de uma história da realeza britânica por um lado comum. No filme o futuro Rei da Inglaterra – George VI – teme e treme sua coroação pois a gagueira o impedia de comunicar-se com seu povo. Notém que isso em momentos em que a Inglaterra iria declarar guerra a Alemanhã e em que o rádio era a principal fonte de aproximação entre o soberano e seus súditos em dias em que o estímulo e a informação eram fundamentais.

A voz seria o meio mais importante naquele instante em que pronunciamentos fariam a confiança aparecer e o monarca se estabelecer de fato e de direito num panorãma difícil mundialmente e complicado para a prória monarquia já que o falecimento do Rei George V – uma figura forte – deixou a vaga do trono para seu filho mais velho que abdicou em favor de seu casamento com uma americana com hábitos bem diversos da aristocracia britânica.Bertie -( e dá para falar qualquer coisa de Colin Firth senão que ele é bárbaro ?!) – apelido usado pela família – se vê diante de uma enrrascada pessoal. Seus traumas de infância vem à tona quando os cuidados de sua deficiência são postos nas mãos de um australiano- um papel perfeito para o estupendo Geoffrey Rush -de métodos pouco ortodoxos para a época. O Rei na verdade é um homem cheio de fragilidades e temores e é isto a melhor aposta do filme além de – UFA e FINALMENTE- assistirmos a uma apresentação com atores de verdade e não com um monte de bonecos gerados a custa de mídia e botox.

No gosto geral, não acredito que o filme agrade apesar da fanfarra do Oscar – sua Londres e seu campo inglês  são pouco exibidos de maneira sedutora aos olhos. Os palácios são pouco vistos e a coroação nem sequer aparece na tela. Excelentes tiradas de humor inglês saem da boca do discretíssimo Rei e dão um charme totalmente britãnico a este quase que austero discurso.

Os figurinos são corretos – nada muito chamativo – smokings tradicionais perfeitos e ternos a la Saville Road. O lado fashion fica restrito a Wallis Simpson ( o filme a retrata de maneira pouco positiva)futura esposa do Rei Eduardo VIII o qual deixa de lado a realeza em favor de sua paixão.

Anúncios