Ainda nos século XIX os chapéus continuavam a ser feitos de pele de castor mas a escassez do animal levou a pele de coelho a se popularizar com a substituta ideal. Mas como bom genérico a nova matéria-prima precisava ser amaciada , senão tratada. É aí que entra a loucura. Embebidas em mécurio as peles acabavam por contaminar os chapeleiros que além de apresentarem distúrbios que comprometiam a sanidade também tinha a cor da pele alterada e os olhos  flamejantes devido a intoxicação. Daí …. olhando a composição de Jonnhy Belo Dep dá para perceber de onde veio a inspiração . Preferi postar esta versão da foto que me lembra um quadro mais barroco mas segue a imagem mais comum com cores mais fluor

Anúncios