Eu me lembrei das pulseiras que usei lá pelos idos de 80. As minhas eram emborrachadas e eram sonho de consumo das meninas que usavam pacotes com 9 compradas em lojas de grife … depois tudo foi parar no camelô e apareceram também versões em plástico . Mais alguns anos na frente percebi o uso das pulseirinhas amontoadas ( também em material plástico )no braço da garotada mas , no entanto, não registrei se era uma febre ou não . Mas agora para minha surpresa, ou melhor ( pior) susto já sei que as meninas andam por aí, mundo a fora (no Reino Unido a moda rola mesmo )usando essas pulseiras coloridas como uma” brincadeira”. Cada cor representa um “favor ” a ser pago caso a pulseira seja arrebentada . Acontece que os “favores” são carinhos, beijos e sexo !!!???? entenderam ?

Uma galera anda ligada nas escolas para proibir o usos das pulseiras tentando  dar um freio na desmedida sexualização das garotas e garotos.

Uma amiga já me relatou que a “moda” já está no Brasil e em São Paulo já apareceram duas confusões de meninas entre 12 e 13 que não quiseram mais “brincar” e se viram em apuros.

Amigos vamos dar uma parada , que negócio é esse ????Avançamos demais ?

Isso não é igual as bricadeirinhas de “Salada de frutas ” do passado porque os tempos mudaram e quem usa esses braceletes tem entre 10 e 14 anos . Qual é ?

As meninas usam as pulseiras na escola e nas reuiões que agora tem o nome de “social” para estar incluídas no grupo de quem é moderno e participativo e ousado, os garotos seguem o mesmo discurso – e quem não quer “brincar ” é careta.

Qualquer tipo de ação como esta é estúpida e com certeza , como os trotes em Universidades, geram violência e situações de constrangimento. Isso sem falar na sexualização dos jovens e na prática absolutamente inconsequente do sexo.  Vamos ficar ligados nesta importação de costumes !!!!

Anúncios